segunda-feira, 28 de agosto de 2017

Cegueira



Por quanto tempo estive cega sem me ver...
Olhando a cegueira alheia passei anos sem saber.
Certa de que se abrisse os olhos alheios as pessoas poderiam me ver.

Cega...cega...cega...coisa dura de se ver.

O espelho deve ser meu e estar na minha frente para que eu possa entender.
Que cada um vê o mundo com seu modo de ser.

Quando eu me vejo...
Vejo eu ...
Vejo você...cada um com seu reles entender!

Tina coelho

sexta-feira, 25 de agosto de 2017

Raiz




De tudo que estou ...nunca deixei de ser quem fui.
Sou pai, sou mãe, sou irmãos, sou pessoas, sou coração.
Sou alma contente que fala que sente...
Aqui dentro bate um coração cheio de memórias, sentimentos...amores.


De tudo que estou...nunca deixarei de ser quem fui...
Só acrescenta... pessoas, lugares, conhecimentos, entendimentos.
Aqui dentro o sangue corre quente cheio de memórias...lembranças.
Sou alma contente que fala que sente.

Eu quando cheguei estava nua e crua.
Fui recebida por quatro mãos e dois corações.
Pai e Mãe...aqui dentro mora a semente que veio da raiz dessa gente.
De tudo que estou ...nunca deixei de ser quem fui.
Tina coelho

segunda-feira, 24 de julho de 2017

Testamento para meus filhos

E assim como não sei a hora da minha partida deixo para meus filhos em vida.

Deixo de herança...

As noites de amor e as cantigas que fiquei a ninar...

O mingalzinho gostoso de fubá.

Os passinhos seguros que ajudei a caminhar.

As brincadeiras no tapete da sala.

As histórias sem fim que pude inventar.

Os Vagalumes no vidro de maionese...

Os girinos na peneira de arroz...

As tampas de panela para girar.

Os gatinhos e cachorrinhos que ajudei a criar.

Os banhos de piscina.

As noites olhando as estrelas esperando os ETS passar...

As conchinhas que apanhamos a beira mar.

Os acampamentos...

A primeira cadeira nas festas da escola.

Os filmes de fazer rir e chorar

As horas que ensinei a meditar.

As minhas prosas sobre...não tem morte... outros mundos...reencarnação...ET...gnomo...levitar...

As fantasias para os bailes que ajudei a costurar

O ombro que emprestei p chorar...

As noites de sono na adolescência que fiquei a esperar...

As meias que calcei enquanto ia acordar

Chocolate quente com pipoca

Bauru...Rosca...Leite com abacate...as brigas por chocolate.

As tardes que passamos juntos aprendendo a criar...escrever e desenhar...

As nossas discordâncias que não pude evitar.

As viagens que fui como passageira depois que as habilitações haviam acabado de tirar...

Para meus filhos deixo o que com eles vive e levo tudo que me ensinaram...A AMAR!

Tina Coelho

domingo, 18 de junho de 2017

Azul





Criei uma menina azul...

Roupa, sapato, cabelo, coração...tudo azul!

Onde ela passa tudo fica azul.

Ela dança...

Tem tanta esperança nesse seu azul viver!

Menina azul...

 Me leva com você!

Tina coelho